Ninguém queria acreditar. Durante 24 horas, o Toyota número 5 liderou aquela que é considerada uma das maiores provas de automobilismo do mundo, a 24 horas Le Mans. Mas mesmo no final, a cinco minutos da meta, uma avaria no carro deu a volta ao resultado. O Toyota, pilotado pelo suíço Sebastien Buemi, o japonês Kazumi Nakajima e o britânico Anthony Davidson, parou e quando retomou a corrida não recuperou. A vitória acabou ao volante da Porsche, com os seus apoiantes em êxtase com o virar da competição.

Foi o verdadeiro morrer na praia. O jornal online L’Internaute descreve o momento:”tão louco e soberbo para a Porsche como cruel e terrível para a Toyota”. A corrida, que começou às 15h00 (hora local) de sábado deu um volte face na reta final. Pelas 14h55 de domingo, aquele que parecia o vencedor e que levava 1.30 minutos de vantagem, acabou parado ao fim de 383 voltas ao circuito de Le Mans.

“Isto não é possível”, ouvia-se o speaker dizer perante um público atónito. O carro ainda andou, mas não passou os 200 km/h, quando a ideia era atingir os 330 km/h. Acabou desclassificado por causa do tempo que demorou a fazer a última volta e foi passado na classificação pelo outro Toyota, que acabou a prova em segundo lugar.

Com o seu principal rival avariado, a dez minutos do fim e 23h50 depois do início da competição, o Porsche 919 Hybrid — pilotado pelo francês Romain Dumas, pelo alemão Marc Lieb e pelo suíço Neel Jani — passou à frente e arrebatou o primeiro lugar. Deu 384 voltas. Esta é a 18ª vitória da Porsche em Le Mans e a segunda de Romain Dumas, como recorda o 20 minutes.

A Toyota ainda conseguiu o segundo lugar, mas com o seu carro número seis. A Audi conseguiu ficar com o terceiro lugar.

Havia portugueses em prova. Só um se saiu bem

Estes foram os resultados da prova principal, a LMP1, onde competem os carros mais rápidos. Mas em duas das três outras provas houve mão portuguesa. Os pilotos Filipe Albuquerque e João Barbosa participaram na classe LMP2 (com carros mais pesados e mais largos que os concorrentes da LMP1).

Filipe Albuquerque conseguiu um 15º lugar (deu 344 voltas), com Bruno Senna e Ricardo Gonzalez, enquanto João Barbosa ficou em 22º (com 338 voltas).

Pedro Lamy e Rui Águas participaram nos GTE-AM, a prova reservada a equipas privadas e a pilotos amadores. Rui Águas conseguiu um segundo lugar ao volante de um Ferrari 458 Italia GT2, com os pilotos F. Perrodo e E. Collard. Pedro Lamy foi obrigado a abandonar a prova devido a um problema na caixa de velocidades do seu Aston Martin.

Já a equipa portuguesa Algarve Pro Racing fez a sua estreia nas 24 Horas de Le Mans com o modelo Ligier JS P2-Nissan, sem contar com nenhum piloto português e alcançou a 17ª posição.