Um país partido ao meio. É este o quadro pintado pelas sondagens divulgadas este fim de semana no Reino Unido e que são as últimas realizadas pelas principais empresas de sondagens. Os resultados, que incluem parcialmente o rescaldo da morte da deputada Jo Cox, indicam alguma recuperação para o Remain (ficar na UE) mas continua a haver uma grande proporção de indecisos. Uma sondagem mais pequena já dá a vitória ao Ficar.

Algumas sondagens divulgadas na semana passada deram até sete pontos de vantagem para a saída, mas os estudos de opinião que foram tornados públicos este fim de semana colocam o Leave (Sair) apenas dois pontos à frente do Ficar. Uma sondagem da YouGov para a ITV dá 44% ao Sair e 42% ao Ficar. Cerca de 9% dos inquiridos dizem-se indecisos sobre o seu sentido de voto.

Esta sondagem consultou uma amostra de 1.734 pessoas entre 15 e 16 de junho. A morte da deputada Jo Cox ocorreu a 16 de junho, levando à suspensão da campanha (que é retomada este domingo). Dois terços das respostas chegaram já depois da morte de Cox. Mas os responsáveis pela sondagem afirmam que são, sobretudo, os receios em relação ao impacto económico de um eventual Brexit que estão a influenciar as intenções de voto.

“Ainda que exista especulação sobre se este movimento [favorável ao Remain] estará ligado à morte trágica de Jo Cox, não acreditamos que seja… Estamos agora na última semana antes do referendo e o deslocamento para o status quo parece estar com toda a força”, afirmou Anthony Wells, responsável da YouGov.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Uma outra sondagem divulgada este fim de semana foi a da Opinium/Observer, também a última consulta antes do referendo. Nesta sondagem, o Leave e o Remain aparecem com 44% cada uma, com 10% de indecisos. As intenções de voto foram recolhidas através da Internet, junto de mais de duas mil pessoas.

Uma terceira sondagem, mais pequena, feita por telefone junto de 1.001 pessoas, já dá uma vitória para o Ficar. A sondagem, feita pela Survation para o Mail on Sunday, atribui 45% das intenções de voto ao Ficar e 42% ao Sair. A sondagem telefónica foi integralmente conduzida nos dias após a morte de Jo Cox.

Campanha retomada hoje na TV após morte de deputada

A quatro dias do referendo sobre a permanência da União Europeia no Reino Unido, e ainda em choque com a morte da deputada trabalhista Jo Cox, figuras públicas intervêm este domingo em programas na televisão. Entre estas figuras públicas estão o líder do Partido da Independência do Reino Unido (UKIP), Nigel Farage, e o chefe da oposição trabalhista Jeremy Corbyn.

Por sua vez, o primeiro-ministro, David Cameron, vai responder a questões do público em direto na BBC esta noite de domingo.

O Observador preparou uma fotogaleria, publicada no sábado, que elenca várias caras conhecidas que apoiam a permanência e a saída.

Mas a campanha, suspensa desde o homicídio na quinta-feira de Jo Cox, deverá ser retomada em pleno apenas na terça-feira, a dois dias do referendo, com um debate organizado na Wembley Arena para 6.000 pessoas.

Quarenta e oito horas após a morte da deputada que fazia campanha pela permanência do Reino Unido na União Europeia, o ambiente continuava muito emotivo, com várias homenagens à vítima, descreve a Agence France Presse.