Mais de 2,7 milhões de refugiados sírios receberam até agora um documento biométrico para estada temporária na Turquia, informou hoje o governo turco em comunicado.

“Somando os 2.742.000 sírios registados com documento biométrico a quem abrimos os nossos corações e mesas, os iraquianos que se refugiam no nosso país e os que chegam de outros países, a Turquia alberga mais de três milhões de pessoas que procuram proteção”, afirma o vice-primeiro-ministro, Veysel Kaynak, citado no comunicado.

O documento biométrico não reconhece o estatuto internacional de refugiado ao seu portador, mas permite uma estadia sem tempo definido no país e acesso gratuito aos hospitais públicos, bem como a escolarização das crianças.

Cerca de 265.000 sírios estão em 26 acampamentos de refugiados geridos pela agência governamental de emergência turca, AFAD, precisou.

Os que vivem naqueles acampamentos, em tendas ou casas pré-fabricadas, recebem apoio, cuidados de saúde, têm oportunidades de ensino e frequentemente procuram trabalhos ocasionais fora do complexo, segundo o governante turco.

O número divulgado hoje representa um aumento de 200.000 pessoas em relação ao avançado em finais de janeiro (2.541.000), embora nos últimos cinco meses a Turquia não tenha permitido a entrada de refugiados sírios vindos da Síria e exija visto aos sírios que estão em países terceiros.

Em relação a junho do ano passado, o total de sírios registados pela AFAD aumentou um milhão.