A vitória da opção de saída do Reino Unido da União Europeia no referendo desta quinta-feira será “irreversível” e o país só poderia regressar ao bloco em condições inaceitáveis, avisou hoje o chefe da diplomacia britânica, Philip Hammond.

“A mensagem que estamos a tentar passar ao povo britânico é que esta é uma decisão irreversível — se decidir sair, não haverá regresso”, afirmou o ministro, à chegada para um encontro com os seus homólogos europeus no Luxemburgo.

Para o governante, a ideia de que a vitória da opção de saída da UE no referendo da próxima quinta-feira pode ser seguida de novas negociações com Bruxelas para um novo acordo é uma ilusão.

O Reino Unido não poderá nunca regressar mais tarde à UE, a não ser sob condições que seriam inaceitáveis — integração no euro, adesão ao Acordo de Schengen, e por aí em diante”, afirmou.

As sondagens mais recentes mostram que as intenções de voto estão a regressar ao campo dos apoiantes da manutenção do país na União Europeia, depois de duas semanas de clara vantagem dos apoiantes do ‘Brexit’.

“O referendo — afirmou Hammond — será uma batalha cerrada. A vitória será por margem muito curta, independentemente de quem ganhe”.