Um bombista suicida matou catorze pessoas em Kabul, capital do Afeganistão, depois de fazer explodir um autocarro que transportava seguranças nepaleses. O ataque foi reivindicado pelos talibãs.

O ministro do interior, Sediq Sediqqui, afirmou no seu Twitter que 14 pessoas tinham morrido e que oito ficado feridas. A polícia já se encontrava a identificar as vítimas da explosão.

Zabihullah Mujahid, um porta-voz talibã, reivindicou a autoria do ataque nas redes sociais.

Este atentado foi o primeiro ataque na capital afegã desde o início do Ramadão, há duas semanas.

Segundo a polícia da capital afegã, o ataque aconteceu por volta das seis da manhã (1h30 em Portugal) desta segunda-feira. Os relatórios policiais afirmam que algumas pessoas que se encontravam perto da explosão ficaram feridas, segundo o The Guardian.

O último ataque na capital afegã acontecera a 19 de abril e resultara na morte de 64 pessoas e mais de 340 feridos.

Algumas horas depois um outro ataque ocorreu quando uma bomba numa mota matou oito civis e feriu outras 18 pessoas na província de Badakhshan, segundo Naveed Frotan, porta-voz do governo do Afeganistão. O segundo ataque ainda não foi reivindicado.

Outra explosão em Kabul esta segunda-feira de manhã feriu um membro do concelho provincial, bem como três dos seus guarda-costas. A polícia crê que havia uma bomba plantada no carro do político.