O diretor de competições da UEFA, o italiano Giorgio Marchetti, descartou esta segunda-feira qualquer possibilidade de resultados combinados na última jornada da fase de grupos Euro 2016 de futebol, considerando que “todas as equipas têm motivos para vencer”.

“Estamos convictos de que em todos os jogos há motivos para vencer, seja para ficar em primeiro no grupo ou para se classificar. Não estamos preocupados com isso”, assumiu.

Marchetti diz que desde sempre ouviu falar em jogos combinados, mas negou que uma competição ampliada de 16 a 24 seleções favoreça mais a prevaricação.

“Todos os grupos estão bastante equilibrados e em alguns pode acontecer tudo”, vincou.

O novo sistema prevê que se classifiquem para os oitavos de final os dois primeiros seis grupos mais os quatro melhores terceiros.

O dirigente também revelou que a UEFA está “muito satisfeita” com o formato a 24 equipas, mesmo que se esteja a verificar uma “diminuição significativa” de golos.

Nos primeiros 24 desafios, as duas primeiras jornadas de cada grupo, foram marcados 47 golos face aos 60 de 2012 e 57 de 2008.

“Os golos são importantes no futebol, mas houve empates apaixonantes como o Alemanha-Polónia ou Portugal-Áustria”, exemplificou, defendendo que as goleadas não conferem maior interesse aos jogos.

Recordou ainda que, em sete jogos, o resultado mudou nos últimos 10 minutos ou nos descontos, sinal da “emoção”.

“Está a ser uma surpresa muito positiva. A competição tem sido intensa e ajustada, com jogos equilibrados e grupos abertos”, concluiu.