Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Oito refugiados sírios foram mortos na fronteira da Turquia por guardas fronteiriços turcos. As vítimas tentavam fugir da Síria através do norte do país, segundo avança o jornal The Guardian.

Quatro mulheres, três crianças e um homem morreram no sábado à noite, anunciou esta segunda-feira o Observatório Sírio para os Direitos Humanos.

Das oito pessoas que morreram, seis eram familiares, informou Rami Abdelrahman. O fundador do Observador Sírio acrescentou ainda que uma das crianças tinha seis anos. Um oficial turco afirmou que a situação estava a ser investigada, mas que tinha sido impossível “verificar o acontecimento” até ao momento.

No mesmo comunicado, o Observatório informou que 60 refugiados sírios já foram mortos na fronteira turca desde o início do ano. Os refugiados sírios têm tentado fazer travessias ilegais desde que a Jordânia, Turquia e o Líbano reforçaram as leis para travar aqueles que tentam abandonar legalmente a Síria.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Cerca de um milhão de refugiados chegou à Europa através da Turquia, nos últimos dois anos, informa o jornal inglês The Guardian. Ankara está a construir um muro junto à fronteira com a Síria, para dificultar a passagem de refugiados, alegando preocupação com a entrada de agentes do auto proclamado Estado Islâmico.

A Turquia alberga 2,7 milhões de refugiados sírios, mais do que todos os outros países do mundo combinados. A maioria dos refugiados sírios não trabalha no país, e embora a legislação permita que as crianças vão à escola, a Unicef estima que 325.000 refugiados com idade escolar não estão a receber educação na Turquia.