Os canoístas Hélder Silva (C1 200) e Francisca Laia (K1 200) começam a preparar os Jogos Rio2016 em Montemor-o-Velho, numa estratégia que prescinde da participação nos Europeus de Moscovo em prol do “melhor resultado” nos Jogos Olímpicos.

“Era esse o plano. Para a Francisca marcámos o pico de forma para o apuramento olímpico. Agora precisamos preparar os Jogos. Se não qualificasse, iria aos Europeus e Mundiais sub-23 e não aos Europeus”, começou por explicar o selecionador Ryszard Hoppe, referindo-se à ausência dos canoístas em Moscovo de sexta-feira a domingo.

Em declarações à Lusa, o técnico revelou ainda que “Hélder Silva teve problemas de saúde que o fizeram estar muito tempo sem treinar, pelo que na sua preparação foram incluídas apenas duas provas”, nomeadamente as Taças do Mundo de Duisburgo, Alemanha, e Montemor-o-Velho, nas quais foi sexto classificado e medalha de ouro, respetivamente.

“Agora precisa de um ciclo para recuperar e preparar para os Jogos. Ambos tiveram uma semana para descansar e arejar a cabeça. Hoje, começam verdadeiramente a ‘atacar’ o Rio 2016”, completou.

Teresa Portela trabalha à parte com o seu treinador e, a recuperar de problemas de saúde, também será ausência na Rússia.

Nos Europeus, Portugal vai estar representado por apenas quatro canoístas, nomeadamente os vice-campeões olímpicos Fernando Pimenta e Emanuel Silva (K2 1.000 em Londres 2012) que vão ter a companhia de João Ribeiro e David Fernandes.

Este quarteto, que vai desdobrar-se em cinco tripulações, apurou para o Rio 2016 em K4 1.000, embarcação na qual esta equipa já foi campeã da Europa, em 2011: são treinados por Hélio Lucas e José Sousa.

Bruno Afonso e Nuno Silva, recentemente prata em C2 1.000 nos Mundiais universitários, que decorreram em Montemor-o-Velho, vão apostar nos Europeus e Mundiais sub-23, evoluindo também sob a orientação do selecionador Ryszard Hoppe.

As experientes Beatriz Gomes e Helena Rodrigues, que falharam a terceira presença olímpica consecutiva, terminaram a época mais cedo.