A presidente da Reserva Federal dos Estados Unidos (Fed), Janet Yellen, alertou esta terça-feira que os riscos do eventual ‘Brexit’ podem ter “repercussões significativas” na economia norte-americana e global.

“Um acontecimento que pode alterar a confiança dos investidores é o refendo no Reino Unido. Uma vitória da saída do país da União Europeia pode ter repercussões económicas significativas”, afirmou Janet Yellen, numa audição no Congresso norte-americano, em Washington, acrescentando que a Fed vai acompanhar de perto a votação.

A dois dias do referendo que decidirá a permanência — ou saída — do Reino Unido da União Europeia, a presidente da Fed admitiu que esta votação é um dos riscos que as economias norte-americana e global enfrentam.

Além disso, Jannet Yellen afirmou que a economia dos Estados Unidos enfrenta uma “incerteza considerável”, devido a um abrandamento da atividade interna.

Apontando para um abrandamento nas contratações e no investimento, e para os choques de um eventual ‘Brexit’ nos mercados internacionais, Jannet Yellen admitiu que a Fed está agora menos otimista quanto ao crescimento norte-americano no curto prazo.

“Mantêm-se incertezas importantes quanto à previsão económica”, afirmou, lembrando os números mais recentes do mercado de trabalho norte-americano e o ritmo baixo do investimento, que ilustram “um risco descendente — de que a procura interna pode cair”.

Apesar das preocupações no curto prazo, a presidente da Fed reiterou que o organismo permanece confiante no médio prazo, estimando que o crescimento económico vai permanecer moderado, que as companhias vão continuar a contratar trabalhadores num ritmo constante e que a inflação vai recuperar.

Os britânicos decidem na quinta-feira se o Reino Unido continua como membro da União Europeia ou sai, num referendo que se espera participado e disputado e que ameaça turbulência económica e política em caso de ‘Brexit’.