José Costinha foi apresentado esta terça-feira como novo treinador da Académica da Coimbra, onde se assumiu como um “caloiro com muita vontade” de recolocar o clube na I Liga de futebol.

O antigo treinador do Servette (Suíca), Beira-Mar e Paços de Ferreira inicia na cidade dos “estudantes” uma nova etapa na sua carreira e, na cerimónia de apresentação, na Sala de Troféus Vasco Gervásio, salientou que a ‘Briosa’ merece um “destino diferente”.

Após 14 épocas consecutivas na I Liga, a Académica foi despromovida este ano à II Liga, depois de terminar o campeonato do primeiro escalão no último lugar.

Aos jornalistas, Costinha disse que a luta pelo regresso ao escalão maior do futebol português ainda vai ser discutida com a direção e os atletas, mas frisou que “nenhum treinador pode vir para a Académica a pensar na manutenção”.

“É uma instituição muito grande, com muita história, de primeira divisão, e quem vem tem de saber para que clube vai trabalhar e saber os pressupostos que implicam treinar a Académica”, sublinhou.

O antigo internacional português, de 41 anos, que assinou contrato por uma época, prometeu “dedicação, espírito de sacrifício e lutar até à exaustão pela vitória em todos os campos e em qualquer competição”.

Costinha, que vai ter como adjuntos o antigo médio Maniche e Sérgio Gaminha, salientou ainda que a segunda divisão “é sempre muito competitiva, com muitas equipas declaradamente assumidas para subir”.