O Presidente da República disse esta terça-feira que cabe à Assembleia da República pronunciar-se sobre o que “está a fazer ou vai fazer” em relação à comissão de inquérito à Caixa Geral de Depósitos, porque “é livre de fazer” o que entender ser melhor. Como “não é uma lei que tenha de promulgar”, remeteu o assunto para o Parlamento.

Marcelo Rebelo de Sousa falou aos jornalistas após uma visita ao Hospital das Forças Armadas, em Lisboa. Acrescentou que é importante que o plano de reestruturação da Caixa Geral de Depósitos seja apresentado sob “um consenso nacional”, porque se trata de uma “grande instituição que todos acham que deve continuar portuguesa, pública e forte”, afirmou.

Relativamente ao Brexit, Marcelo mostrou-se confiante de que o Reino Unido vai permanecer na União Europeia, mas acrescentou que, caso se verifique o abandono, será uma “oportunidade para a União Europeia dar um sinal de vitalidade”.

O Presidente da República afirmou que a União Europeia deve aprofundar as questões da união política, união monetária, união económica e união bancária e que se deve também mostrar mais solidária para com os cidadãos.

Marcelo referiu ainda que “seria mau para o Reino Unido, mau para a Europa e mau para Portugal” o Reino Unido abandonar a União Europeia.