Portugal foi o terceiro país da UE em 2015 com maior percentagem do total de dívida pública com vencimento a curto prazo, 14%, a par de Itália e apenas atrás de Suécia e Hungria, revela esta terça-feira o Eurostat.

Os dados do gabinete oficial de estatísticas da União Europeia (UE) sobre a estrutura da dívida pública em 2015 revelam que, uma vez mais, a dívida pública com vencimento a longo prazo prevalece de forma clara na União, havendo apenas cinco Estados-membros com uma proporção de dívida a curto prazo (com vencimento inferior a um ano) superior a 10%: Suécia (27%), Hungria (15%), Portugal, Itália (ambos com 14%) e França (11%).

Os países da UE com menor percentagem de dívida com vencimento a curto prazo são a Estónia (0,3%), a Polónia (0,8%), a Bulgária (1,1%) e a Eslováquia (1,5%).

Os dados hoje divulgados pelo Eurostat confirmam ainda que Portugal apresentava em 2015 a terceira mais elevada dívida da administração pública na UE em percentagem do Produto Interno Bruto (PIB), de 129%, apenas superada pelas da Grécia (176,9%) e Itália (132,7%), à imagem do que já sucedia no ano anterior.

A dívida pública portuguesa é detida maioritariamente por não-residentes no país (66,6%), seguindo-se residentes financeiros (25%) e não financeiros (8,4%).

A Estónia é o Estado-membro com menor dívida pública em percentagem do Produto Interno Bruto (9,7%), seguindo-se o Luxemburgo (21,4%) e a Bulgária (26,7%), sendo a média de dívida pública na UE de 85,2% do PIB e na zona euro de 90,7%.