A Assembleia da República discute, esta quarta-feira, como combater o desperdício alimentar, no âmbito de uma interpelação ao Governo requerida pelo grupo parlamentar do Partido Ecologista “Os Verdes” (PEV).

O ano de 2016 foi declarado como Ano Nacional de Combate ao Desperdício Alimentar, depois de o PEV ter apresentado um projeto de resolução nesse sentido que acabou aprovado por unanimidade. Na altura, na sua intervenção em plenário, a deputada do PEV Heloísa Apolónia afirmou ser essencial a AR dar um sinal político que demonstre o caráter prioritário do tema, que classificou como um “desígnio ambiental e social”.

Além de defender um novo impulso ao debate público do tema do desperdício alimentar, a deputada ecologista apresentou também 15 propostas concretas, apontando duas delas para que o Governo se envolva diretamente nas iniciativas e conceda meios para o aprofundamento da investigação sobre as causas inerentes ao desperdício de alimentos.

Heloísa Apolónia defendeu também que sejam estabelecidas metas anuais e plurianuais para a redução do desperdício alimentar em Portugal, a par de campanhas públicas de sensibilização para esse objetivo, e a integração da temática nos manuais escolares.

Em termos de medidas com implicações na área comercial, “Os Verdes” defenderam a necessidade de se estabelecer uma “clara diferença” entre produtos perecíveis com data de validade limite e outros com data indicativa sobre consumo preferencial.

A sessão plenária foi antecipada para as 14h30 por causa do jogo do campeonato europeu de futebol que coloca frente-a-frente as equipas de Portugal e da Hungria e que começa pelas 17h00.