Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Um jaguar presente numa cerimónia da tocha olímpica foi abatido depois de ter tentado escapar aos tratadores, esta segunda-feira, em Manaus, no Brasil.

O felino chamado Juma foi abatido perto de um jardim zoológico junto a um centro de treinos militares por um soldado. O homem terá disparado um tiro sobre o jaguar, já depois de este ter sido sedado.

https://twitter.com/fireroark/status/745452101980033024

O Comité Olímpico dos Jogos Olímpicos Rio 2016 comentou o acontecimento afirmando: “Fizemos um erro terrível ao permitirmos que a tocha olímpica, um símbolo de paz e unidade, fosse exibida lado a lado com um animal acorrentado. Esta imagem vai contra as nossas crenças e valores”.

A mascote da equipa olímpica brasileira é um jaguar chamado Ginga, daí a presença do animal na cerimónia, informa o The Guardian.

RIO DE JANEIRO, BRAZIL - JUNE 23: Brazilian national teams mascot Ginga is introduced by the Brazilian Local Organizing Committee at Parque Aquatico Maria Lenk on June 23, 2015 in Rio de Janeiro, Brazil. (Photo by Buda Mendes/Getty Images)

Ginga, a mascote da equipa olímpica brasileira. (Buda Mendes/Getty Images)

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O caso tem enfrentado alguma contestação por parte dos grupos de defesa dos animais que questionam a razão pela qual o animal esteve envolvido no evento.

Segundo a autoridade governamental, a Ipaam, a utilização de Juma era ilegal já que não tinha sido requisitada uma autorização para ter o animal presente no evento.