Energia

Novo dispositivo transforma energia potencial das ondas em energia elétrica

Chama-se Sea-wave Slot-cone Generator (SSG) e é um dispositivo que permite obter duas vezes mais energia do que a produzida com a tecnologia base, explica a equipa de investigadores.

O dispositivo Sea-wave Slot-cone Generator foi desenvolvido por uma equipa de investigadores da Universidade do Porto

LUÍS FORRA / LUSA

Autor
  • Agência Lusa
Mais sobre

Um novo dispositivo para aproveitar a energia potencial criada pelas ondas do mar e transformá-la em energia elétrica foi desenvolvido por investigadores da Universidade do Porto.

“O Sea-wave Slot-cone Generator (SSG) é um dispositivo de aproveitamento da energia das ondas marítimas por galgamento (fenómeno caracterizado pelo transporte de massa de água sobre o seu coroamento), constituído por um ou mais reservatórios sobrepostos, nos quais é temporariamente armazenada a água do mar”, explicou à Lusa a equipa de investigação.

Durante o estudo, verificou-se que a utilização de concentradores que permitem capturar uma maior frente da onda incidente e, consequentemente, aumentar o volume de água que atinge os reservatórios superiores por galgamento, duplica a energia produzida anualmente, em comparação com a tecnologia base.

Este dispositivo SSG pode ser instalado em quebra-mares portuários e em estruturas costeiras tradicionais, originando estruturas multifuncionais e possibilitando a repartição dos custos totais da intervenção pela própria estrutura e pelo dispositivo.

Por outro lado, segundo os investigadores, o desempenho hidráulico à reflexão dessas estruturas pode também ser melhorado pelo facto de o dispositivo introduzido destinar-se a absorver a energia das ondas incidentes, minimizando a energia refletida.

A proximidade a terra faz com que não seja necessário dispor de um extenso, e geralmente dispendioso, cabo elétrico submarino de ligação à rede elétrica, acrescentaram.

Para além disso, a aplicação em obras de abrigo portuário torna essas infraestruturas mais sustentáveis, podendo a energia renovável produzida pelas ondas ser utilizada para alimentar os consumos internos do próprio porto.

A investigação contou com a participação dos investigadores Pedro Oliveira, da FEUP, Francisco Taveira-Pinto e Paulo Rosa-Santos, do Centro Interdisciplinar de Investigação Marinha e Ambiental (CIIMAR), e Tiago Morais, do Instituto de Ciência e Inovação em Engenharia Mecânica e Engenharia Industrial (INEGI).

Tinha como objetivo identificar tecnologias de aproveitamento da energia das ondas que pudessem ser incorporadas em estruturas costeiras e portuárias, estudar o seu funcionamento e definir a mais adequada para uma aplicação no norte de Portugal.

O Estudo “Experimental evaluation of the effect of wave focusing walls on the performance of the Sea-wave Slot-cone Generator” foi publicado na revista científica Energy Conversion and Management.

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Conflitos

Mediterrâneo

Luis Teixeira

Huntington defendeu, como Braudel, que a realidade de longa duração das civilizações se sobrepõe a outras realidades, incluindo os Estados-nação em que se supôs que a nova ordem mundial iria assentar.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)