Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Deixámos passar o devido tempo. A bandeira axadrezada cor de laranja não se levantou, o site da UEFA manteve o resultado, o contador confirma o sucedido. É verdade. É mesmo verdade: Cristiano Ronaldo finalmente marcou no Euro 2016. O que aconteceu de diferente agora: um golpe de sorte, uma magia cósmica ou foi apenas o pé milagroso do madeirense?

Há um pormenor que não escapou ao olho do Observador. Agora que o capitão português marcou, espante-se, a camisola tinha manga curta. Provas? Ora veja.

5 fotos

Mas até agora Cristiano Ronaldo teve (quase) sempre camisola de manga comprida. Sempre, até nos maus momentos. E basta retroceder ao jogo anterior para encontrar provas disso mesmo: sempre que a bola foi ao poste, sempre que a bola entrou em fora de jogo, sempre que Ronaldo não chegou lá, a camisola número 7 tinha mangas compridas. Outra curiosidade: também Ricardo Carvalho está a jogar com mangas compridas.

11 fotos

Mas porque é que um atleta com 80 quilos de peso, 1.85 metros de altura e que corre a mais de 33 quilómetros por hora (o capitão português foi considerado um dos futebolistas mais velozes do mundo) há de preferir jogar durante 90 minutos com uma camisola tão invernal debaixo de um sol escaldante a 31ºC? A pergunta fez-se algures nos primeiros minutos do jogo frente à Hungria. E a resposta, diz o All Soccer Planet, pode estar nas superstições tão próprias do mundo das artes e do universo do desporto.

Consta que a utilização de mangas compridas por Cristiano Ronaldo é uma das muitas manias que o atleta usa para chamar a sorte. Há outras: quando a seleção entra no autocarro, por exemplo, o madeirense senta-se sempre sozinho na última fila de bancos e é sempre o último a sair. No avião, fica sempre ao lado de Pepe e é o primeiro a sair. No intervalo dos jogos, muda de penteado (nem que seja um pormenor) e toca sempre na bola antes de entrar em campo. Quando marca, o primeiro aceno é sempre dedicado à família e os restantes aos adeptos. E depois tem essa mania de usar mangas compridas, sendo o único jogador na seleção portuguesa que começa as partidas com uma dessas camisolas.

O nosso conselho vai no sentido contrário. Dados os últimos acontecimentos (ou a falta deles até há bem pouco tempo), pode ser que o universo esteja a conspirar de forma diferente. O melhor talvez seja que Cristiano Ronaldo passe a usar mangas curtas. Pelo menos hoje, que a sorte parece outra. E pode mesmo levar-nos longe.