Caesar R. Goodson Jr., o polícia que conduzia a carrinha onde o afro-americano Freddie Gray morreu, foi ilibado da acusação de homicídio de segundo grau e outras seis acusações menores. O homem é o terceiro agente a ser julgado neste caso, sendo que todos eles foram ilibados — e Goodson era o que enfrentava as acusações mais graves, explica o The New York Times.

Freddie Gray, de 25 anos, morreu devido a lesões graves na medula, depois de ter sido submetido a uma violenta viagem até à esquadra de polícia em Baltimore. Quando chegou ao destino, o homem estava já inconsciente. Foi metido no chão da carrinha, sem cinto de segurança e com as mãos algemadas atrás das costas, enquanto o carro andava pela zona oeste de Baltimore.

A acusação considerou que os agentes puseram Freddie Gray em perigo por terem feito uma condução perigosa, além de lhe terem negado cuidados médicos mesmo depois de ele os ter pedido. Já a defesa de Goodson alegou que o agente agiu de acordo com o treino que recebeu e que o acidente ocorreu depois de Freddie se ter levantado dentro da carrinha.

O caso provocou protestos a nível nacional contra o racismo das forças policiais em relação à população afro-americana. A acusação aos seis agentes foi saudada por vários grupos de ativistas, como o Black Lives Matter, mas a ausência de condenações está a gerar uma nova onda de indignação.

Este é o terceiro oficial a ser julgado no caso e o terceiro a ser absolvido. Faltam outros três.