O primeiro-ministro António Costa considerou que a redução do défice demonstra “o acerto” de uma “alternativa que procura virar a página da austeridade”, garantindo que Portugal teve “neste primeiro trimestre o melhor resultado desde 2008”.

“Os resultados hoje divulgados pelo INE [Instituto Nacional de Estatística] sobre o défice orçamental do primeiro trimestre demonstram bem o acerto desta alternativa que procura virar a página da austeridade, cumprindo aquilo que são as metas das regras europeias”, referiu António Costa.

O líder do Governo falava aos jornalistas no Porto a propósito da decisão do Reino Unido de sair da União Europeia, tendo aproveitado para comentar os dados do INE, segundo os quais o défice das administrações públicas, em contas nacionais, foi de 3,2% (-1.406,1 milhões de euros) do Produto Interno Bruto (PIB) no primeiro trimestre deste ano, enquanto o valor do primeiro trimestre do ano anterior foi de 5,5% do PIB (-2.344,6 milhões de euros).

“Tivemos neste primeiro trimestre o melhor resultado desde 2008, com uma redução de 5,5% [em 2014] para 3,2% do défice do primeiro trimestre. Uma redução de 900 milhões de euros comparativamente ao período homólogo do ano passado e portanto significa que devemos dar continuidade a esta estratégia que temos vindo a prosseguir que permitirá consolidar as nossas finanças públicas ao mesmo tempo que dá prioridade ao crescimento e à criação de emprego”, afirmou António Costa.

O líder do executivo considerou a redução “muito forte” e recordou que a meta do Governo é “reduzir 1.300 milhões só este ano”: “Só se pode dizer que estamos no caminho certo”, concluiu.