O Presidente da República considerou que a situação que existia na Europa antes do referendo de quinta-feira que deu a ‘vitória’ à saída do Reino Unido da União Europeia (UE) é diferente daquela que existe hoje.

“Há uma Europa antes da votação de ontem, há uma Europa depois da votação de ontem e, portanto, há em certos aspetos um Portugal antes da votação de ontem e um Portugal depois da votação de ontem”, afirmou Marcelo Rebelo de Sousa, em declarações aos jornalistas em Mafra, no final de uma homenagem ao general Ramalho Eanes.

Adiantando que tenciona “oportunamente” falar aos portugueses sobre o assunto, Marcelo Rebelo de Sousa escusou-se a comentar o facto de Portugal ter ficado de fora dos membros escolhidos para se reunirem no sentido de encontrar uma solução para a situação.

“Não se deve esperar de quem defende solidariedade europeia que contribua para, com a sua palavra, afetar, limitar ou condicionar a solidariedade europeia”, referiu.

O fundamental, acrescentou, é perceber-se que “a situação que existia antes” do referendo passou a ser “diferente depois”.

“E isso aplica-se à Europa, aplica-se a Portugal, sem dramatização, mas também sem iludir os problemas”, sublinhou.