O secretário-geral da ONU pediu a israelitas e palestinianos que não deixem os extremistas de ambos os lados alimentarem a violência, no início de uma visita a Israel e territórios palestinianos.

“Não permitam que o extremismo dos dois lados alimente o conflito”, afirmou Ban Ki-moon, numa intervenção na universidade de Telavive.

“Os líderes palestinianos e israelitas têm que se manter firmes contra a violência, terror e incitação”, disse, tendo retomado o mesmo tema numa reunião com o presidente de Israel, Reuven Rivlin, em Jerusalém.

“Os ataques com facas, bombas e tiroteios nunca conseguirão nada porque a violência nunca é a solução”, acrescentou Ban.

O secretário-geral da ONU vai encontrar-se, na terça-feira, com o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu, no âmbito de uma visita à zona, que também vai incluir a Faixa de Gaza e a Cisjordânia, ocupada por Israel desde a Guerra dos Seis Dias, em 1976.

“Quase 50 anos de ocupação tiveram um impacto devastador nas vidas palestinianas, destruindo a crença numa resolução pacífica do conflito, disse Ban em Jerusalém. “Também não trouxeram segurança aos israelitas”, sublinhou.

“Acredito firmemente que uma solução negociada de dois Estados continua a ser a única opção viável para impedir um conflito que se perpetue”, acrescentou.

Durante o encontro com Rivlin, Ban Ki-moon saudou o acordo de normalização de relações entre Israel e Turquia como um “importante sinal de esperança para a estabilidade na região” enviado para todo o Médio Oriente.

O encontro de Netanyahu e Ban estava marcado para hoje, mas o primeiro-ministro israelita deslocou-se a Roma para conversações com o secretário de Estado norte-americano, John Kerry, sobre o impasse nas negociações de paz com os palestinianos.

O Quarteto de paz para o Médio Oriente – Estados Unidos, UE, ONU e Rússia – deverá apresentar um novo relatório sobre o processo de paz israelo-palestiniano, prevendo-se que apresente várias críticas às políticas israelitas na Cisjordânia.

“Peço aos líderes israelitas e palestinianos que se comprometam com as recomendações do Quarteto em relação à criação de condições para o reinício de negociações significativas”, disse Ban.

A viagem ao Médio Oriente do secretário-geral da ONU começou no Kuwait, no domingo.

Na terça-feira, Ban visita uma escola primária para raparigas gerida pela ONU em Gaza, e depois vai a Ramallah, na Cisjordânia, para conversações com o presidente da Autoridade Palestiniana, Mahmud Abbas, e o primeiro-ministro Rami Hamdallah.