Sejamos honestos: não é totalmente descabido chorar quando revemos (em loop) o golo que Ricardo Quaresma marcou no último sábado. Em primeiro lugar, porque o autor é um verdadeiro “menino da lágrima” com duas gotas tatuadas no canto do olho direito. Em segundo lugar, porque surgiu depois de uns sofridos cento e dezassete minutos (por extenso, porque foram mesmo longos) no jogo perante a Croácia. E depois porque foi a primeira vitória de Portugal em pleno Euro 2016, um “quanto baste” que nos garantiu um lugar nos quartos-de-final.

Foi um jogo mais técnico, pelo menos quando o comparamos com as outras prestações portuguesas. Mas aquele golo mágico de Quaresma não podia ficar totalmente nu de emoções. Foi por isso que os internautas do Twitter se renderam a uma gravação da Titanic Goals que mostra o golo do avançado do Besiktas ao som de “My Heart Will Go On”, a canção de Céline Dion que marcou o filme Titanic. Se ainda não conhece o vídeo, que foi republicado mais de 11 mil vezes e que conquistou o coração de 6.1 mil pessoas no Twitter, veja-o aqui em baixo.

https://twitter.com/TitanicGoal/status/746819757362585600

Tudo o que a página faz é converter grandes momentos futebolísticos – uns mais felizes que outros – em verdadeiros videoclips dignos da música de 1997. O primeiro dos vídeos foi publicado a 23 de junho e mostra o (milagroso) golo da Islândia perante a Áustria nos últimos segundos do jogo. A publicação teve 2.3 mil retweets e serviu de rampa de lançamento para uma página que, com apenas quatro dias de vida e 21 publicações, já é seguida por 12.3 mil pessoas.

https://twitter.com/TitanicGoal/status/745910858845392897

A mais recente publicação de “Titanic Goals” mostra o pénalti falhado de Lionel Messi no jogo contra o Chile e que contribuiu para a derrota da Argentina na Copa América. Embora tenha 1.1 mil republicações e 560 corações vermelhos em apenas cinco horas, a publicação protagonizada por Ricardo Quaresma foi a mais apreciada pelos internautas até agora. Porquê, se a página não tem qualquer ponta de “portugalidade” na herança genética e é completamente gerida por britânicos?

Fizemos a pergunta a Reece, um “criador de conteúdos para os média sociais” de 19 anos que gere esta página e a Transfer News, uma conta não oficial para fãs da Premier League. Em entrevista ao Observador, Reece admite que a jogada entre Renato Sanches, Cristiano Ronaldo e Ricardo Quaresma é das que mais perfeitamente encaixa com esta música que “parece encaixar em absolutamente todos os vídeos de momentos futebolísticos”. Ele conta que o golo de Quaresma não foi apenas um passaporte para Portugal chegar aos quartos-de-final: “Foi na altura em que Portugal jogava que a página começou a crescer rapidamente. Foi a partir daí que começámos a ser populares”.

É Freddie Pye, um dos membros da equipa por detrás de “Titanic Gols”, que nos explica como cresceu este projeto. A moda de levar o Titanic aos campos de futebol começou ainda em maio, quando um vídeo foi partilhado mil vezes após ter embalado um golo com a voz de Céline Dion. O grupo de amigos limitou-se a ir na onda. Experimentou, gostou do resultado e continuou a alimentar o fenómeno do Twitter: “Uma das coisas que achámos interessante foi que vimos pessoas de todo o mundo a retweetar os vídeos, o que tornou claro que não havia barreira de língua a impedir a nossa página de ir mais além”.

Os internautas parecem gostar: os vídeos já saíram do Twitter para atracarem noutras redes sociais, principalmente Facebook e Instagram. Apesar do sucesso, há algo que assusta os membros de “Titanic Gols”: a saturação. “Pode começar a haver quem veja os vídeos como um pouco velhos, poucos originais e, em alguns casos, exagerado”. Por enquanto, isso não é preocupação: “Aposto que vamos continuar a partilhar vídeos no futuro, mesmo que seja com outras músicas de filmes memoráveis”, dizem-nos Freddie e Reece.

Por cá, esperamos que um dos próximos vídeos seja um vitorioso golo português. E eles também: “Portugal tem uma grande possibilidade de chegar à final e de conseguir grandes coisas neste campeonato, porque têm uma grande equipa e estão numa posição favorável”. Esperamos que estejam certos.