A partir de quinta-feira, o design passa a ter casa própria em Matosinhos. A Câmara Municipal transformou a antiga garagem dos automóveis da autarquia num espaço expositivo de 2.400 metros quadrados e a primeira exposição, “Burilada — Arte-Factos para a Sobrevivência”, abre ao público a 30 de junho.

Os objetivos para a nova Casa do Design são altos. “Queremos afirmar este espaço como uma referência nacional e internacional na área do design“, disse esta terça-feira Fernando Rocha, o vereador da Cultura de Matosinhos, na visita de imprensa. Não é a primeira vez que o espaço, que fica nos Paços do Concelho, recebe exposições — a primeira foi sobre Siza Vieira, na viragem do milénio. No entanto, “foi crescendo um movimento em Matosinhos graças à ESAD”, a Escola Superior de Artes e Design. Era preciso dar a esse movimento condições melhores do que o antigo posto de turismo do mercado da cidade, onde a escola já fazia exposições.

Agora, a ESAD tem toda uma casa para gerir artisticamente. As paredes e os tetos foram pintados de branco. Existem diferentes espaços e a disposição pode ser alterada consoante os objetivos de uma mostra, já que as paredes são em pladur. A maior modificação em relação à garagem foi a demolição da rampa de entrada, que deu lugar a uma escadaria. Mas no interior ainda se mantém a segunda rampa, que antes dava acesso a lugares de estacionamento. Hoje, é porta de entrada para a arte.

casa do design (3)

Alguns dos objetos que fazem parte da exposição “Burilada”. © Francisco Teixeira/CMM

A inauguração do espaço e da primeira exposição acontece na quinta-feira, às 18h00, com a presença do Ministro da Cultura, Luís Filipe de Castro Mendes. De acordo com uma das curadoras, Helena Sofia Silva, reúne peças de design português e contemporâneo, estando dividida em seis núcleos: demonstração, reinvenção, investigação, conservação, produção e gestão. Pode ser visitada de segunda-feira a sábado, com acesso gratuito.

As mostras, que podem ser de longa ou curta duração, e que vão privilegiar o design português, são da responsabilidade da ESAD, que não se fecha a colaborações com outras instituições, públicas ou privadas, e estabelecimentos de ensino, explicou José Bártolo, Diretor Científico da ESAD IDEA — Investigação em Design e Arte.

A par da programação regular, será criada uma coleção permanente e um acervo documental “que potencializem a investigação e disseminação de conhecimento em design”. Para essa investigação, a ESAD IDEA vai ter, em 2017, no antigo edifício da Caixa Geral de Depósitos, na Rua Brito Capelo, ali bem perto, uma sede.

A Casa do Design “não é um espaço isolado. Faz parte de um conjunto de equipamentos que terão uma relação entre si”, disse José Bártolo. Um desses equipamentos é a nova Casa da Arquitetura, que inaugura no início do próximo ano, com o nome oficial ainda por revelar.