O gigante de mobiliário Ikea disse esta terça-feira que vai recolher o seu popular modelo de cómodas ‘Malm’, depois de seis crianças terem sido esmagadas quando o móvel caiu.

“Hoje, o Ikea dos Estados Unidos da América (EUA) e o Ikea do Canadá vão lançar uma recolha local de cómodas na América do Norte apenas”, disse à agência francesa France Presse a porta-voz do grupo Ikea, Kajsa Johansson.

Os media dos EUA relataram que 29 milhões de cómodas estavam a ser recolhidas. O Ikea vai transmitir uma declaração ainda esta terça-feira nos dois países.

malm-comoda-c-gavetas__0393752_PE562558_S4

Exemplo da cómoda em causa, modelo Malm. (Imagem: catálogo Ikea Portugal – www.ikea.com/pt)

Johansson sublinhou que as cómodas “reuniam todos os requisitos obrigatórios de estabilidade em todos os mercados onde foram vendidos” e acrescentou que o móvel “estava seguro à parede” tal como dizem as instruções.

O grupo sueco informou que foram comunicadas seis mortes nos últimos 13 anos envolvendo cómodas do Ikea, todas nos EUA, incluindo desde 2014. Nenhuma das cómodas tinha sido fixada à parede.

Em 2015, o Ikea lançou uma campanha nos EUA e no Canadá para encorajar os donos das cómodas ‘Malm’ a fixarem-nas à parede.