Nani afirmou que a seleção portuguesa de futebol está disposta a tudo para conquistar o Euro 2016, incluindo “deixar de jogar bem” para poder levantar o troféu no dia 10 de julho, na final do Stade de France.

“Fizemos um bom jogo contra a Hungria com muitos golos, mas não podemos jogar assim sempre. Em primeiro lugar, está o nosso objetivo e vamos fazer tudo. Se para isso for preciso abdicar de jogar bem, vamos fazê-lo”, disse Nani em conferência de imprensa.

Minutos antes de mais um treino de Portugal no Centro Nacional de Râguebi, em Marcoussis, o extremo de 29 anos negou que o estilo de jogo da seleção esteja a ser parecido com o da Grécia no Euro 2004 e enalteceu a “juventude e o companheirismo” da equipa.

“Todos gostaríamos de jogar bem, fazer golos e agradar os adeptos, que querem ver espetáculo. Nós apercebemo-nos de que o mais importante é ganhar. Podemos fazer grandes fintas, mas depois no final do jogo não serve para nada. Se ganharmos, todo o povo português vai ficar satisfeito, seja de que forma jogarmos”, explicou Nani.

O jogador formado no Sporting, que contra a Croácia alcançou a centésima internacionalização pela seleção principal, considerou que nesta fase “já não há equipas favoritas” no Campeonato Europeu e classificou a Polónia como uma “equipa forte e experiente”.

“Não estamos à espera de facilidades. Temos de estar no nosso melhor e sabemos que teremos de sofrer em alguns momentos do jogo. Temos de entrar em campo com a maior confiança”, referiu.

Portugal defronta na quinta-feira a Polónia, nos quartos de final do Euro 2016, num encontro que vai decorrer em Marselha, no Estádio Vélodrome.