A Volkswagen aceitou pagar 14,7 mil milhões de dólares (mais de 13 mil milhões de euros) para substituir 480 mil automóveis a gasóleo que circulam no mercado americano, na sequência do escândalo da manipulação de emissões poluentes. O acordo com os reguladores americanos, anunciado esta terça-feira, dá aos proprietários de veículos o direito de escolher: ou a marca compra os automóveis afetados ou instala um dispositivo de controlo de emissões que venha a ser aprovado pelas autoridades.

Em qualquer destes cenários, está ainda previsto o pagamento de uma compensação ao proprietário que pode chegar aos 10 mil dólares (nove mil euros) por condutor. O grupo alemão vai ainda entregar 2,7 mil milhões de dólares às autoridades federais e ao regulador da Califórnia para financiar um fundo que terá como objetivo apoiar projetos para reduzir as emissões e investir dois mil milhões de dólares em tecnologias limpas.

Este acordo é o maior alguma vez alcançado entre as autoridades americanas e um construtor automóvel e eleva para quase 16 mil milhões de euros, a fatura que a Volkswagen terá de suportar em resposta ao caso da manipulação de emissões poluentes. Mas a conta deverá ainda subir, com processos pendentes em outros países.

Se o construtor não conseguir alcançar uma percentagem de 85% de recolha de veículos até 30 de junho de 2019, terá de pagar mais 85 milhões de dólares ao fundo de mitigação ambiental por cada ponto percentual que faltar para atingir essa meta.