Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O secretário de Estado do Ambiente Carlos Martins decidiu devolver o dinheiro relativo ao subsídio de alojamento que lhe foi atribuído quando tomou posse, a 26 de novembro de 2015. Num comunicado emitido esta quinta-feira, o Ministério do Ambiente esclarece que o montante, superior a 2.600 euros, já foi devolvido na sua totalidade.

Para além de devolver as verbas, o governante decidiu também prescindir do subsídio até ao final do seu mandato. “Na decisão do Secretário de Estado do Ambiente, Carlos Martins pesaram as razões já evidenciadas na nota pessoal que fez constar do anterior comunicado”, refere o comunicado

A devolução acontece dois dias depois de o secretário de Estado ter anunciado que ia abdicar do subsídio, na sequência das notícias que davam conta de que a sua morada oficial era em Tavira, apesar de viver em Cascais. Na altura, Carlos Martins explicou que não prescindia do montante, cerca de 360 euros líquidos por mês, por ser ilegal, mas pelas consequências que a polémica poderia ter para a sua imagem e para a do Governo de que faz parte.

Artigo corrigo às 17h11 com o valor do montante devolvido

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR