A multinacional alemã Siemens, através da filial angolana, anunciou esta quinta-feira ter estabelecido uma parceria com a Faculdade de Engenharia da Universidade Agostinho Neto, de Luanda, para otimizar a caótica circulação rodoviária em Luanda.

De acordo com uma informação enviada esta quinta-feira à Lusa pela Siemens, a parceria abrange atividades no domínio das Tecnologias da Mobilidade Rodoviária e tem como principal finalidade a “realização de ações de levantamento das necessidades de mobilidade nos meios urbanos de Angola”.

Envolverá a elaboração de um estudo de tráfego para “identificar as tecnologias mais adequadas para otimizar a circulação rodoviária em Luanda”, a realizar no âmbito de um projeto de investigação científica denominado “Sistema Inteligente de Gestão de Trânsito Rodoviário”, a decorrer naquela universidade pública.

O caótico trânsito entre o centro e a periferia de Luanda, com filas de espera que todos os dias chegam a várias horas, é um dos maiores problemas da capital angolana, conforme identificou em declarações à Lusa, em 2014, o presidente da Associação Industrial de Angola (AIA).

“O nosso estudo aponta para um prejuízo de 2,8 mil milhões de dólares [2,5 mil milhões de euros] por ano, devido ao congestionamento de tráfego aqui em Luanda. É um grande prejuízo e muito resulta da falta de gestão dos sistemas, não é só um problema de infraestruturas, como alguns apontam”, afirmou José Severino, em declarações, na altura, à Lusa.

O estudo no terreno deverá arrancar, segundo a multinacional alemã, “dentro de dois meses” e incluirá um “processo de contagem e monitorização do tráfego rodoviário, durante várias horas por dia, em algumas avenidas já identificadas”, que não apenas na cidade de Luanda, “mas em toda a província, com recurso a equipamentos especializados fornecidos pela Siemens”.

Após a recolha e análise de dados, o projeto prevê a apresentação de propostas para “melhorar a experiência e a segurança de automobilistas e peões”, que poderão levar à adoção de diversos tipos de tecnologias e soluções, como semaforização, iluminação, vias reversíveis, informação aos utentes nos percursos analisados ou videovigilância.

O protocolo entre a Siemens e a Faculdade de Engenharia da Universidade Agostinho Neto prevê ainda a realização de seminários, formações e o apoio ao ensino de uma disciplina dedicada aos conceitos de reconhecimento, medição e controlo de tráfego, mas abrange igualmente a área laboral, com estágios de alunos daquele estabelecimento na multinacional alemã.