Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Vincente Del Bosque, que abandonou o cargo de selecionador espanhol após a saída do Euro 2016, não se poupou nas críticas ao guarda-redes Iker Casillas, que não jogou durante a prova. A Espanha não foi além dos oitavos-de-final, tendo sido derrota pela Itália por 2-0. Choveram críticas à la Roja pela fraca exibição frente aos italianos dos campeões em título.

Mas como se não bastasse, Del Bosque sai como “vilão” e revelou os seus sentimentos sobre Casillas, que esteve sempre no banco e viu De Gea no seu lugar. O ex-selecionador queixou-se das atitudes de guardião, não com os seus colegas de equipa, mas com ele e a equipa técnica. “O Iker esteve bem com os colegas de equipa mas não comigo e com a equipa técnica”, afirmou Del Bosque, que confidenciou ter enviado uma mensagem de despedida a todos os jogadores que levou consigo para a França, exceto um: Casillas.

Del Bosque, que não só abandonou a seleção como vai mesmo deixar o futebol, afirmou no programa desportivo espanhol ‘El Larguero’ que a atitude de Casillas foi apenas contra ele e os seus adjuntos: “O amuo de Casillas foi apenas connosco. Digo-o com toda a sinceridade. Com os companheiros esteve perfeito. De certeza que conversaremos no futuro. Não pode haver ressentimentos”.

O guardião espanhol tem 167 internacionalizações e poderá ficar por aqui, visto que colocou no Twitter um pequeno vídeo do filme “Rambo”, onde se pode ouvir Sylvester Stallone, dobrado em espanhol: “Não sei para onde mas vou”. Será uma despedida de Casillas da Roja?

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Del Bosque confirma que só teve problemas com Casillas, que não deve ter ficado nada contente por não ter saído do banco de suplentes durante o Euro 2016, e diz ainda que é possível que tenha agido mal com o guarda-redes, mas que o conhece desde os nove anos e que tem um grande apreço por ele. O antigo selecionador defendeu Casillas no seu problema com os adeptos do Real Madrid: “Pareceu-me inacreditável que os madrilistas assobiassem Casillas e tomei posição, não pude ser mais claro”.

Para terminar, o homem que esteve ao comando da seleção espanhola durante oito anos afirma que Casillas devia sentir-se orgulhoso da sua carreira, que o seu currículo não sai prejudicado com este Euro e que “se um dia for treinador vai perceber a dificuldade do papel.”

O guardião não fez qualquer comentário sobre as declarações de Del Bosque e já partiu para férias. Resta saber o futuro de Casillas na seleção espanhola, sendo que o atual jogador do FC Porto tem 35 anos de idade e poderá ter feito o seu último europeu. Veremos se chega ao Mundial de 2018 na Rússia ou se a despedida de Rambo é para levar a sério.