A startup portuguesa Farfetch tem candidaturas abertas para o Plug-in, o primeiro programa que desenvolve para formação e desenvolvimento de talento jovem, em Portugal. O objetivo é integrar e desenvolver, nas diferentes equipas de tecnologia, talento com formação a nível do ensino superior. Há 25 vagas e as candidaturas terminam a 10 de julho.

“Nesta primeira edição, estamos empenhados em garantir o desenvolvimento, acompanhamento e enriquecimento profissional de 25 jovens recém-graduados, sendo que esperamos aumentar este número nas edições seguintes”, explica Ana Sousa, diretora de Recursos Humanos da Farfetch, em comunicado.

Como mais-valias do Plug-in, a responsável pelos recursos humanos daquele que é o único unicórnio (empresas que valem mais de mil milhões de dólares) com origem portuguesa destaca “a mentoria e o feedback constante aliado à integração numa cultura organizacional informal, ágil e internacional”.

A missão do Plug-in é proporcionar aos jovens talentos um programa de desenvolvimento de competências ao longo de um ano. Com início em setembro, a formação ocorre no escritório da empresa em Leça do Balio, no Porto, e os selecionados para o programa de formação e desenvolvimento terão acesso a uma bolsa. Até ao final do ano, a Farfetch quer contratar mais de 150 pessoas.

A Farfetch é uma plataforma de comércio eletrónico que agrega 400 boutiques de moda de luxo, de onde se destacam nomes icónicos como a Browns em Londres, a L’Eclaireur em Paris ou a Fivestory em Nova Iorque. Com uma equipa que totaliza 1100 colaboradores, espalhados pelos escritórios de Londres, Nova Iorque, Los Angeles, Porto, Guimarães, São Paulo, Tóquio, Hong Kong, Shanghai e Moscovo, cerca de 500 estão em Portugal.