O realizador britânico Peter Greenaway disse à agência Lusa que a decisão do Reino Unido de sair da União Europeia (UE) foi “muito estúpida, um desastre absoluto”.

Em Lisboa, para falar sobre cinema numa escola de verão sobre cultura visual da Universidade Católica, Peter Greenaway lamentou que os britânicos tenham votado em referendo a saída da UE, sublinhando que foi “uma decisão organizada por políticos estúpidos, em busca do seu próprio poder pessoal”.

“Agora que venceram, não sabem o que fazer com esse poder, não sabem como agir”, afirmou Peter Greenaway, e, sem especificar nomes de políticos, lamentou que uma qualquer “criança petulante” possa deitar por terra a vontade de existir uma força conjunta com “sensibilidade democrática e união”.

Polémico e provocador, o realizador de 74 anos, que vive há vários anos em Amesterdão, Holanda, alertou ainda para a perda de importância de Londres, com esta decisão Londres, tanto do ponto de vista cultural como financeiro.

Peter Greenaway, realizador e artista visual, fará hoje, no Teatro Municipal São Luiz, uma apresentação sobre cinema e cultura visual, no encerramento da sexta “Lisbon Summer School”, uma escola de verão para estudantes e investigadores, organizada pelo Consórcio de Lisboa, o programa internacional de mestrado e doutoramento em Estudos de Cultura da Universidade Católica Portuguesa.

Na semana passada, os eleitores britânicos decidiram que o Reino Unido deve sair da UE, depois de o ‘Brexit’ (nome como ficou conhecida a saída britânica da União Europeia) ter conquistado 51,9% dos votos no referendo.

A decisão levou o primeiro-ministro inglês David Cameron a pedir a demissão.