É possível que, nos últimos anos, se tenha cruzado com algum podcast. Talvez já tenha ouvido falar em “Serial” e devorado as duas temporadas inteiras. Ou se tenha habituado a ouvir Marc Maron falar com outros cómicos, músicos, atores e não só e a tentar emendar os erros do passado em “WTF”, o podcast a que Barack Obama foi em 2015. É possível que ache que as conversas de Terry Gross em “Fresh Air” fluem como mais nenhumas. É inegável que são uma área em expansão, mas não se ficam por estes exemplos. Aqui vai uma lista de dez podcasts estrangeiros começados este ano que devíamos todos estar a ouvir.

2 Dope Queens

Nos últimos tempos, a cómica JessicaWilliams tem sido um dos pontos altos do “Daily Show” – apesar de ter anunciado esta semana que ia sair para desenvolver a sua própria série. Em final de Março, ela e PhoebeRobinson começaram a lançar “2 Dope Queens”, que já era um espectáculo que faziam ao vivo em Nova Iorque. Foi um sucesso instantâneo. Em cada episódio, as duas falavam da vida e actualidade e convidados, gente que vai de JaneaneGarofalo à rapper JeanGrae, contavam histórias e faziam alguma comédia de stand-up. A primeira temporada acabou recentemente, mas ainda continuam a sair episódios bónus. E, enquanto se espera pela segunda época, Robinson acabou de anunciar um novo podcast de conversas: “Sooo Many White Guys”. (Link aqui)

Skillset

Amy Nicholson é crítica de cinema e co-apresenta “The Canon”, um podcast semanal em que ela e o colega Devin Faraci discutem se um certo filme é digno ou não de inclusão no cânone do cinema para serem recordados para toda a eternidade. Este ano, Nicholson foi contratada pela MTV News, para cujo site agora escreve e onde faz este novo podcast — a primeira temporada acabou recentemente. Nele, Nicholson fala com especialistas que trabalham em cinema ou em áreas representadas em filmes e estrelas de cinema e mostra o outro lado dos filmes. No primeiro episódio, por exemplo, o trompetista de jazz Ambrose Akinmusire vê se Don Cheadle fingiu bem tocar trompete em “Miles Ahead”, o biopic de Miles Davis que se estreia em Portugal daqui a duas semanas. (Link aqui)

Politically Re-Active

Há uns anos, o cómico de stand-up W. KamauBell apresentou o seu espectáculo de um homem só, “The W. KamauBell Curve: EndingRacisminAboutanHour” em Nova Iorque. No fim, voltou aos bastidores e Chris Rock, que ele não conhecia, estava lá à sua espera. O veterano disse-lhe que Bell tinha piada e, algum tempo depois, ajudou-o a conseguir um talkshow na FX, “Totally Biased”, que durou de 2012 a 2013. Um dos colaboradores de Kamau nesse programa era o também cómico HariKondabolu, que lançará o seu segundo álbum, “Mainstream AmericanComic”, dia 22 de Julho. Os dois ficaram amigos e passam algum tempo ao telefone a discutir política. Esta semana, transformaram essas conversas num podcast que cobre as eleições americanas (e acaba quando estas chegarem ao fim) e em que os dois conversam com especialistas no assunto para lhes explicarem certos conceitos e factos. (Link aqui)

Still Buffering

Duas irmãs, Sydney McElroy e Rileigh Smirl – e às vezes uma terceira, Teylor Smirl –, apresentam este podcast sobre adolescentes, tanto os de há uns anos quanto os de agora, e o que há em comum entre todos. Os tópicos vão de festas a arrumação de quartos, passando pelo Dia dos Namorados ou o visionamento de filmes. Dos 23 episódios até à data, apenas um teve um convidado exterior, mas foi alguém de peso: Lin-Manuel Miranda, o actor, compositor, cantor, rapper e autor de origem porto-riquenha cujo ultra-bem sucedido musical “Hamilton” ganhou uma tonelada de prémios Tony há poucas semanas. (Link aqui)

Revisionist History

Malcolm Gladwell, autor de artigos de sucesso na revista “NewYorker” e de vários best-sellers, descobriu as possibilidades da intimidade que um podcast possibilita e, ao longo dos dez episódios (vai no terceiro) deste novo podcast, analisará eventos da História sob a sua perspectiva. Como quase tudo o que o canadiano faz, é centrado em “boas ideias e por que é que são tão difíceis de espalhar”, como explica na narração. O primeiro episódio, por exemplo, é feito à volta de mulheres que foram as únicas a singrar num contexto dominado por homens, é sobre a ideia de desculpabilização moral que leva o status quo a achar que quando uma porta é aberta a alguém que vem de fora então esta pode ser fechada outra vez. (Link aqui)

The West Wing Weekly

Há vários podcasts dedicados a séries, sejam antigas ou novas, em que se esmiúçam meticulosamente episódios, alguns bastante bem sucedidos. O “The X-Files Files” de Kumail Nanjiani, por exemplo, levou o seu apresentador a aparecer na nova temporada da sua série favorita. “The West Wing Weekly” é diferente, porque o hilariante co-apresentador, Joshua Malina, hoje actor em “Scandal”, fez parte da série que se propõe a analisar, a criação de Aaron Sorkin que em português se chamou “Os Homens do Presidente”. Malina, que entrou a partir da quarta temporada a fazer de Will Bailey, juntou-se Hrishikesh Hirway, que faz o podcast “Song Exploder” e os dois falam com convidados que vão de senadores como Bob Casey a colegas de elenco como Richard Schiff, passando por reuniões de uma boa parte da equipa da série, sobre os temas dos episódios da série e como se relacionam com a actualidade. (Link aqui)

Say Why to Drugs

A psicóloga britânica Suzi Gage anda a investigar o mundo das drogas, a perceber que efeitos – negativos e positivos – é que elas têm a curto e longo prazo e que mitos é que subsistem e deviam ser quebrados. De duas em duas semanas, foca-se numa substância nova, tanto neste podcast apresentado – pelo menos na primeira temporada – a meias com o rapper Scroobius Pip, que também faz o recomendável Distraction Pieces, como num blogue para o jornal “The Guardian”. Até agora, o programa já cobriu cannabis, tabaco, álcool e MDMA. (Link aqui)

Doin’ It With Mike Sacks

Mike Sacks escreve para a revista “Vanity Fair”, tanto textos mais sérios quanto peças de humor. É autor, entre outros, de dois livros muito recomendáveis de conversas com pessoas que escrevem comédia: “And Here’s the Kicker…” e “Poking a Dead Frog”. Este ano, começou o seu próprio podcast, “Doin’ It With Mike Sacks”, que junta peças humorísticas cuidadosamente gravadas em áudio e entrevistas a gente com o escritor David Sedaris, a argumentista Megan Amram ou o actor Bill Hader. (Link aqui)

Not Safe Podcast with Nikki Glaser

“Not Safe”, o programa da Comedy Central em que a ultra-curiosa e destemida cómica de stand-up Nikki Glaser explora, através de conversas, discussões e experiências, temas que o resto do mundo tem vergonha de abordar, já deu ao mundo segmentos memoráveis e ousados que se calhar é melhor não ver no trabalho. Também deu origem a este podcast que complementa o programa, co-apresentado pelo também cómico Dan St. Germain – que também faz “My Dumb Friends”. São conversas maiores e mais detalhadas sobre alguns dos mesmos tópicos do programa. (Link aqui)

Beyond Yacht Rock

Há 11 anos, J.D. Ryznar e Hunter Stair co-criaram, com Lane Farnham, a série web “Yacht Rock”. O nome ajudou a cunhar um género musical inteiro: a música feita à volta de nomes como Doobie Brothers, Steely Dan, Toto, bem como a voz de Michael McDonald e a parceria deste com Kenny Loggins. Ficcionava as histórias por detrás da música de forma absurda e hilariante. Este ano, Ryznar e Stair juntaram-se a David B. Lyons e Steve Huey, que tinham colaborado com eles na série, e começaram este podcast, em que cunham, como dizem, outros géneros musicais arbitrários. De Nyacht Rock (canções que as pessoas pensam ser de yacht rock mas não são) a Divorcecore (quando músicos pop dos anos 1980 começaram a escrever canções sobre o divórcio), cabe aqui de tudo, sempre tratado com um misto de reverência, admiração, consciência do absurdo, muita pesquisa e pura parvoíce gloriosa. Nas últimas semanas têm dedicado episódios a escritores de canções que vão de Diane Warren a Jim Steinman. (Link aqui)