Michael Cimino, vencedor de um Óscar para Melhor Realizador pelo filme “O Caçador”, morreu este sábado. Teria 77 anos. “Morreu em paz rodeado dos seus e das mulheres que amava. Nós também o amávamos”, anunciou Thierry Fremaux, diretor do Festival de Cannes, no Twitter.

https://twitter.com/THIERRYFREMAUX/status/749329806257430528

Nova-iorquino, descendente de italianos, o realizador alcançou sucesso mundial com “O Caçador” (1978), um drama à volta da guerra do Vietname, aclamado pelo público e pela crítica — foi nomeado para nove Óscares e venceu cinco, incluindo o de Melhor Filme e Melhor Realizador.

Do céu ao inferno foi um piscar de olhos de dois anos. Em 1980, Cimino produziu o filme “As Portas do Céu” (Heaven’s Gate), um estrondoso fracasso de bilheteira, que levou à falência o estúdio United Artists. Nesse ano, acabaria distinguido com a Framboesa de Ouro para Pior Diretor.

A carreira de Cimino, iniciada em Los Angeles, como argumentista, acabaria por ficar inevitavelmente marcada por este insucesso — nunca mais realizou filmes de maior relevância. Durante os 10 anos que seguiram ao “As Portas do Céu” recusou qualquer entrevista, o que ajudou a alimentar uma aura de mistério à volta do realizador — há dúvidas, por exemplo, em relação à verdadeira idade de Cimino, como lembra a Variety. O seu aniversário é geralmente citado como sendo a 3 de fevereiro de 1939.

Apesar dos insucessos que somou, era considerado “um dos grandes” nomes do cinema.