O atentado foi perpetrado com um carro armadilhado que explodiu numa rua do bairro comercial de Karrada, numa altura em que centenas de pessoas faziam compras para a festa muçulmana de Eid al-Fitr, que culmina o mês do Ramadão e se celebra dentro de poucos dias. O ataque, o que mais mortos fez este ano no Iraque, foi reivindicado pelo grupo extremista Estado Islâmico (EI).

No domingo, a União Europeia (UE) reiterou o apoio ao Governo iraquiano na luta contra o EI e os seus esforços para estabilizar áreas que têm sido libertadas da organização extremista.

“O atentado suicida com um carro armadilhado efetuado pelo Estado Islâmico em Bagdade esta noite (…) teve como alvo cidadãos iraquianos inocentes”, disse a alta representante da UE para a Política Externa, Frederica Mogherini. A União Europeia, sublinhou, está “ao lado do Governo iraquiano na luta contra o Estado Islâmico”.

“A vitória militar das forças de segurança iraquianas e, sobretudo, a recente libertação de Fallujah, é um importante passo na luta contra o Daesh” (acrónimo árabe de EI), sustentou a alta representante da Política Externa e Segurança Comum da UE. A União, sublinhou Mogherini, continuará a apoiar, em particular o Iraque, nos esforços para estabilizar rapidamente as áreas de que expulsou o grupo terrorista.