As vendas de automóveis, camiões e autocarros novos no Brasil registaram o pior primeiro semestre em dez anos, segundo dados da Federação Nacional de Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave) divulgados esta terça-feira.

Foram vendidos 983.599 veículos entre janeiro e junho, menos 25% do que no período homólogo do ano anterior.

“Já estamos a notar uma melhoria nos índices de confiança, tanto por parte de consumidores, como de investidores, mas não imaginamos grandes mudanças nos dados do setor até que o cenário político se defina”, afirmou Alarico Assumpção Jr, presidente da Fenabrave.

A federação não alterou as projeções de vendas para este ano, de 15% de queda nas vendas, porque, explicou, elas já levam em conta “uma melhora no quadro geral da economia e do setor, pois, se os dados se mantivessem como no início do ano, os resultados seriam piores”.

O Brasil, que chegou a ser o quarto maior mercado do setor no mundo, vive hoje uma recessão profunda e uma crise política, com a Presidente com mandato suspenso, Dilma Rousseff, a ser alvo de um processo de destituição.