O ex-futebolista Abel Xavier, defesa que esteve na meia-final do Euro 2000 em que a França eliminou Portugal, considera que estão criadas as condições para se reporem “certas verdades”, em alusão à final do Euro 2016.

O antigo jogador foi um dos protagonistas da meia-final de 28 de junho de 2000, disputada em Bruxelas, na qual a França venceu Portugal já no prolongamento (2-1), com Zidane a marcar aos 117 minutos, de grande penalidade, o golo de ouro decisivo.

“Estão criadas todas as condições para se fazer história e repor certas verdades. Assim espero, como milhões”, escreveu o antigo lateral, de 43 anos, na sua conta oficial numa rede social.

Abel Xavier foi o autor da falta de que resultou a grande penalidade, então muito contestada pelos jogadores portugueses, depois de pôr a mão à bola na grande área.

Portugal, que tinha marcado primeiro, por Nuno Gomes, aos 19 minutos, viu a França levar a decisão para o prolongamento, ao empatar por Thierry Henry, aos 51 minutos. No tempo ‘extra’ valeu aos franceses o penálti de Zidane.

“Tudo aquilo que eu pretendia e ambicionava aconteceu precisamente hoje! 16 anos após!”, escreveu o ex-internacional, depois de se saber na quinta-feira que será a França a defrontar Portugal na final de domingo.

Abel Xavier diz ainda que, apesar de tantas opiniões, houve uma pessoa que “soube prever e antecipar os acontecimentos” e que essa pessoa foi o selecionador português, Fernando Santos, a quem deixa elogios.

“Entre oscilações, dificuldades, soubemos dar a volta dando importância aos adversários, agindo com inteligência e uma grande interpretação tática na condução dos jogos, sendo realista e eficaz”, refere.

A finalizar o jogador pede a todos, desde a federação, aos treinadores, ‘staff’ e jogadores que “sintam o momento”.

Portugal defronta a anfitriã França no domingo (20h de Lisboa), naquela que será a segunda final da história num Europeu para a seleção lusa, depois de ter perdido o título para a Grécia em 2004, em Lisboa.