A Câmara Municipal de Lisboa tem nas ruas um programa que pretende alertar a população para os efeitos das temperaturas altas, bem como indicar as medidas de prevenção a tomar quando o calor aperta.

O vereador da Proteção Civil, Carlos Manuel Castro, que coordena a iniciativa, explicou à Lusa que a campanha “Calor intenso, um perigo para a saúde – Saiba como proteger-se” incide particularmente sobre dois públicos-alvo, as crianças e a população sénior, mas abrange todas as idades.

“É necessário que tenhamos todos consciência dos riscos que corremos e, naturalmente, se todos tivermos pequenas precauções no nosso dia-a-dia, teremos capacidade de preservar o nosso bem-estar e a nossa saúde”, vincou o autarca.

A campanha passa por ações de formação e sensibilização junto das crianças e dos idosos, através das 24 juntas de freguesia do concelho, e espera-se que “quando falarem com os seus familiares, com os seus vizinhos, com os seus amigos, também transmitam os cuidados que devem ter no seu dia-a-dia”.

A outra vertente da campanha passa por falar diretamente com as pessoas na rua, sejam lisboetas ou turistas.

“Sempre que tivermos informações do IPMA [Instituto Português do Mar e da Atmosfera] com temperaturas superiores a 35 graus, nesses dias teremos o cuidado de nas zonas de maior frequência da cidade termos equipas da proteção civil que irão fazer sensibilização junto da população para os cuidados a ter”, apontou Carlos Manuel Castro.

Uma das sessões de sensibilização junto dos idosos teve lugar na Associação de Reformados de Benfica.

Aos idosos, a técnica de Saúde Ambiental Helena Correia falou da importância de beber água, vestir roupas leves e claras, evitar comidas pesadas e saídas à rua nas horas de maior calor, e usar sempre protetor solar.

Tudo isto são “cuidados práticos que a população em geral deve ter nesta altura em que se registam temperaturas muito elevadas”, considerou.

Para o presidente da associação, Mário Pratas, estas informações não são novas, dado que “estes aspetos são muito falados ao longo dos anos” e “é natural que para a maioria dos presentes não seja um assunto desconhecido”.

Mesmo assim, “nunca é demais falar dele”, apontou o responsável, acrescentando que “é natural que em conversa com a família e amigos se volte a falar nisso” e a palavra chegue a mais pessoas.

Maria Nogueira, 78 anos, é uma das pessoas que já tinham conhecimento dos cuidados a ter quando as temperaturas aumentam.

“Eu sou diabética e falam-me disso ali no posto médico”, referiu à Lusa a reformada.

Entretanto, também vai passando a palavra: “Digo à minha filha e ao filho, quando lá vão a casa temos essas conversas”.

A presidente da Junta de Freguesia, Inês Drummond, afirmou que esta “é já a segunda vez” que o município leva a cabo ações deste género com os fregueses de Benfica.

“Já tivemos em pleno inverno sensibilização, ao inverso desta que tivemos hoje, para sensibilizar as pessoas para como se devem proteger do frio, e agora nesta altura do ano, com estas vagas de calor, torna-se muito importante sensibilizar as pessoas para as medidas que devem tomar”, disse a autarca.

A par das autarquias lisboetas, esta campanha envolve a Administração Regional de Saúde Lisboa e Vale do Tejo; a Autoridade de Saúde; as Unidades de Saúde Pública dos Agrupamentos de Centros de Saúde Lisboa Norte, Lisboa Central e Lisboa Ocidental e Oeiras; o IPMA; a Escola Superior de Enfermagem de Lisboa e os Serviços Sociais do município.