Componente já muitas vezes dispensado nos protótipos e “concept cars”, os retrovisores, exteriores e interiores, vão deixar de ser uma obrigatoriedade nos veículos comercializados no Japão.

O País do Sol Nascente acaba de se tornar no primeiro mercado do mundo a permitir aos fabricantes automóveis abdicarem da utilização dos tradicionais retrovisores, trocando-os pelos mais modernos sistemas de monitorização por câmara. Numa altura em que não faltam protótipos a fazerem uso desta tecnologia, abdicando de uma solução que muitos consideram já ultrapassada – pela falibilidade e pelos custos estéticos e aerodinâmicos –, o governo japonês decidiu levantar as últimas barreiras legais que impediam a transposição dos sistemas de monitorização por câmara para as viaturas dos nossos dias.

Opel_Concept_Cars_GT_1_1024x576_A298968

A não obrigatoriedade de incluir retrovisores é menos uma barreira para a criatividade dos designers

Consequência desta decisão, tanto o principal fornecedor japonês deste tipo de tecnologia, a Ichikoh Industries, como a alemã Bosch, comprometeram-se já a fornecer todos os construtores automóveis presentes no mercado japonês com soluções de monitorização por vídeo.

A decisão agora tomada pelas autoridades japonesas poderá ser seguida em breve pela União Europeia, a qual tem prevista uma revisão dos regulamentos neste domínio ainda durante o presente ano. Nos EUA, esta solução poderá vir a ser adoptada em 2018, seguindo-se a China, hoje em dia, um dos maiores mercados mundiais.