O presidente do Eurogrupo disse esta segunda-feira após a reunião do Eurogrupo que há um apoio alargado entre os ministros das Finanças da zona euro e que, por isso, vão aprovar por unanimidade as recomendações da Comissão Europeia para declarar que Portugal e Espanha não tomaram medidas eficazes para reduzir o défice orçamental e, assim, iniciar o processo que levará a que a Comissão tenha de apresentar uma proposta de sanções aos dois países.

Está certa a aprovação, garante o presidente do Eurogrupo. A discussão foi tida hoje, mas sem se falar de que sanções a Comissão Europeia vai apresentar no final do mês. Sobre o passo essencial para abrir o processo, que é aprovar formalmente a declaração da Comissão que os dois países não fizeram o suficiente, Jeroen Dijsselbloem deu a garantia que é negócio fechado.

“Apenas se houver uma maioria qualificada podemos parar o processo e não foi o caso, de todo. Houve acordo alargado e, por isso, amanhã no Ecofin os membros da zona euro vão votar para apoiar a recomendação da Comissão de forma unânime”, afirmou o holandês.

O ministro das Finanças alemão, Wolfgang Schäuble, já tinha dito à entrada que, por princípio, os ministros da zona euro aprovam as recomendações que a Comissão faz no que diz respeito à aplicação das regras orçamentais.