A atleta portuguesa Jéssica Augusto considerou hoje que a medalha de bronze ganha na meia-maratona dos Europeus de atletismo, em Amesterdão, “soube a ouro, depois de um ano parada devido à maternidade”.

“Saí de Amesterdão com boas sensações, preparada e motivada para as próximas cinco semanas de treino intenso”, disse a também medalha de ouro, em termos coletivos na Taça da Europa, reiterando que o seu “grande objetivo é os Jogos Olímpicos, a maratona olímpica”, na qual espera alcançar “um bom lugar”.

Companheira do guarda-redes da seleção nacional de futebol, Eduardo, a fundista do Sporting reconheceu que o último domingo “teve um significado especial”.

“Sim, teve um significado especial porque o Eduardo estava na seleção e sempre lhe disse que só esperava vê-lo no dia 11 (de julho)”, explicou Jéssica Augusto, que informou o seu companheiro que “no dia 10, iria correr por uma medalha” e que esperava que ele também trouxesse “uma para Portugal e a taça”.

“Dito e feito! Estou muito feliz pela nossa seleção, por Portugal, por tudo”, sublinhou.

Continuando a falar de um dia que trouxe glória ao desporto português com triunfos nos europeus de atletismo e de futebol e ainda o segundo lugar do ciclista Rui Costa na etapa ‘rainha’ da Volta à França, a atleta acrescentou: “Foi um dia perfeito, um domingo perfeito para uma nação que há muito desejava este dia.”

“Ontem (domingo) foi um grande dia para Portugal, para a seleção, para os portugueses, para as várias modalidades, gostávamos de repetir várias vezes este feito do 10 de julho que fica marcado para a história de Portugal”, disse.

Sobre a prova em Amesterdão, Jéssica Augusto fez uma confissão: “Tinha dito à partida à Sara (Moreira) que era possível conseguirmos medalhas, a nível individual e coletivo.”

“Sabia que a Sara tinha desistido nos dez mil metros e tinha as suas aspirações na meia-maratona. Fiquei feliz pela conquista dela, fiquei satisfeita, porque graças a ela ouvi a Portuguesa no pódio e também me soube muito bem”, disse.

A atleta ‘leonina’ não perdeu o ensejo para frisar serem “a prova de que desporto não é só futebol”

E sobre o desempenho esperado nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, em agosto, Jéssica Augusto foi cautelosa, não embarcando na “promessa de medalhas”.

“Todos os atletas que conquistaram medalhas e os outros que foram menos felizes estão num bom momento, claro que os Jogos Olímpicos são o ponto alto da carreira de um atleta e todos nos preparámos para o mesmo e todos vamos com os mesmos sonhos, as mesmas ambições”, lembrou.