Os terroristas que chegaram ao aeroporto Zaventem, em Bruxelas, no dia 22 de março e que levaram a cabo um ataque que vitimou 32 pessoas, utilizaram três veículos para se deslocaram até ao aeroporto, um dos quais um táxi. Foi o motorista do táxi, que reconheceu as caras dos passageiros que tinha transportado naquela manhã, que levou as autoridades até ao local onde tinha apanhado os clientes.

Agora, a polícia espanhola está a desenvolver um documento que pretende informar os taxistas sobre os sinais a que devem estar atentos e que devem ser reportados quando detetados. O projeto está a ser desenvolvido em colaboração com o presidente da Associación Gremial de Autotaxi. A ideia é a de aproveitar a intuição que os taxistas ganham por passarem várias horas por dia a transportarem milhares de pessoas diferentes. Este ano, vários taxistas permitiram a captura de um grupo criminoso.

Os táxis em Madrid já estão equipados de uma aplicação que permite aos motoristas avisarem a polícia em caso de agressão ou quando acreditam que estão perante uma situação suspeita. O aparelho está escondido, de forma a que os passageiros não o possam ver.

A informação pretende alertar os motoristas para vários aspetos desde o cheiro dos explosivos à bagagem, passando também pelo estado psicológico do passageiro. A polícia alerta para sinais como relutância em deixar que os taxistas ajudem a carregar a bagagem, um peso estranho ou um volume invulgar. O local para onde o passageiro pretende ir também pode ser um indicativo, já que os terroristas procuram sítios muitos movimentados como aeroportos, estações de comboio, concertos ou praças movimentadas. A atitude também pode ser reveladora. Gestos que revelem grande nervosismo, rezas ou uma grande introspeção e tentativa de manter o rosto escondido são aspetos a que o motorista deve estar atento. O documento alerta para a necessidade de estar particularmente atento a indivíduos de origem árabe, mas é preciso estar alerta em relação a toda a gente, já que podem haver “lobos solitários”.

Em relação a estes sinais, as autoridades alertam que alguns deles não são suficientes para levantar suspeita por si só, mas quando combinados com outros fatores, podem criar um estado de alerta. Ainda que grande parte dos avisos possam ser falso alarme, a polícia acredita que este novo sistema pode salvar vidas.

Este é um projeto que pretende prevenir qualquer tipo de ataques terroristas, mas foi pensado especialmente para lidar com a ameaça jihadista.