O número de pessoas infetadas pelo vírus da sida no Brasil subiu nos últimos cinco anos, informou hoje um relatório divulgado pelo programa da Organização das Nações Unidas (ONU) UNAids.

Segundo o levantamento, foram registados em 2015 cerca de 44 mil novos casos, enquanto cinco anos antes, em 2010, haviam sido referenciados cerca de 43 mil novas infeções.

O risco de contágio da sida também tem sido uma preocupação do Comité Olímpico Internacional, que informou em maio que irá distribuir 450 mil preservativos aos competidores dos Jogos Olímpicos e Jogos Paralímpicos.

A quantidade de preservativos será três vezes maior do que a distribuído nos Jogos de Londres, em 2012, que bateu o recorde com 150 mil.

Globalmente, o relatório da UNAids destacou que as infeções entre crianças diminuíram em mais de 70% desde 2001 e continuaram a declinar nos últimos cinco anos, mas o contágio de adultos está praticamente estagnado.

O órgão estimou que 1,9 milhões de adultos foram contaminados pela sida no mundo a cada ano entre 2010 e 2015.

Levanto em conta a distribuição global de casos em adultos neste mesmo recorte temporal, a análise detetou uma diminuição pequena na Europa Ocidental e Central, na América do Norte, na África Ocidental e na África Central.

Os melhores resultados foram alcançados na África Oriental e do Sul onde as infeções de sida diminuíram 4%, e na região do Pacífico que teve declínio de 3%.

As regiões onde os números de infeções foram mais acentuados são a Europa Oriental e a Ásia Central, que registou alta de 57%, Caribe 9%, Oriente Médio e Norte da África de 4% e América Latina 2%.