O Ministério do Interior belga contabilizou 457 nacionais a combater na Síria ou no Iraque, ou que têm a intenção de o fazer, integrados em grupos ‘jihadistas’, sendo quase um terço mulheres e menores.

Segundo informações de uma cadeia de televisão flamenga, destes 457 combatentes estrangeiros, 266 estão na Síria ou no Iraque e 90 estão desaparecidos e provavelmente mortos.

Do total, 51 combatentes são mulheres e 38 são menores belgas, entre os quais 32 menores de 12 anos, de acordo com a mesma televisão VTM, tendo um porta-voz do Ministério do Interior dito esta quarta-feira à agência France Presse que os números estão corretos, mas sem fazer mais comentários.

Estes dados confirmam a Bélgica, numa proporção à sua população – 11,5 milhões de habitantes – como um dos países europeus que soma mais combatentes nas milícias ‘jihadistas’.

A situação tem preocupado as autoridades belgas, na medida em que os atentados de 13 de novembro de Paris e de 22 de março de Bruxelas foram preparados por membros da organização extremista Estado Islâmico.

No início do ano, as autoridades tinham contabilizado 451 combatentes na Síria.