A jornalista do Observador Ana Pimentel venceu a categoria de “Mercados Financeiros” do Prémio de Jornalismo Económico da Universidade Nova de Lisboa e do Santander Totta, pelo segundo ano consecutivo. A jornalista do Observador foi distinguida pelo trabalho “Unicórnios. Há uma bolha (tecnológica) prestes a rebentar?”.

“Unicórnios. Há uma bolha (tecnológica) prestes a rebentar?” é fruto de uma investigação ao clube das startups que valem mais de mil milhões de dólares e que são, por isso, “unicórnios”. Com um enfoque internacional, mas também nacional, o artigo lança a discussão sobre o tema, explicando os motivos que suportam a tese de que existe uma eventual sobrevalorização destas empresas. O texto é acompanhado de uma ilustração e grafismo de Andreia Reisinho Costa.

Ana Pimentel, 31 anos, é jornalista no Observador desde a sua fundação, em 2014, e assina às terças-feiras a newsletter do jornal Startups, em que escreve sobre temas como a inovação, tecnologia e empreendedorismo.

prémio jornalismo

Pedro Santos Guerreiro, Isabel Vicente, Ana Pimentel e Luís Pedro Costa Santos, vencedores das categorias Gestão de Empresas e Negócios, Mercados Financeiros e Economia e Sustentabilidade

Os vencedores do “Grande Prémio” e da categoria “Gestão de Empresas e Negócios” foram os jornalistas Pedro Santos Guerreiro e Isabel dos Santos, do Jornal Expresso, com o artigo “O Diabo que nos impariu”. Luís Pedro Costa Santos, da Aprender Magazine, venceu a categoria “Economia e Sustentabilidade” com o trabalho “Ensino Dual: Quando as empresas pagam aos jovens para estudar”.

O Prémio de Jornalismo Económico é uma iniciativa conjunta da Universidade Nova de Lisboa e do Banco Santander Totta. Criado em 2009, visa promover a qualidade da criação jornalística, distinguindo anualmente os melhores trabalhos nas categorias de “Gestão de Empresas e Negócios”, “Mercados Financeiros” e “Economia e Sustentabilidade”.

O melhor trabalho concorrente às três áreas recebe o “Grande Prémio”, com um valor pecuniário de dez mil euros. Os restantes prémios, correspondentes às três categorias, têm um valor de cinco mil euros cada. Os trabalhos foram avaliados por um júri composto por personalidades ligadas ao Jornalismo, Finanças, Sustentabilidade Empresarial e Gestão, presidido pelo professor Francisco Caramelo.

Os critérios utilizados foram a originalidade e relevância do tema, a qualidade jornalística e qualidade da comunicação à luz dos conhecimentos relevantes.