Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

“Anda. Tu bates bem. Se perdermos, que se f#$%! Personalidade. Vai. Personalidade. Tu bates bem. Seja o que Deus quiser! É uma lotaria.” Estas palavras de Cristiano Ronaldo, antes dos penáltis contra a Polónia, serão eternas. O capitão português falava para João Moutinho. Essa cantiga já lá vai longe, foi por altura dos quartos-de-final. Poucas semanas depois, Portugal foi campeão europeu no relvado e rei da risota nas ruas de Paris…

É que há muitos cartazes espalhados pela capital gaulesa com mensagens e imagens de regozijo. E provocação. Cristiano Ronaldo, Renato Sanches, Éder e Rui Patrício são os protagonistas, os heróis. E depois há um vilão: Dimitri Payet. O criativo do West Ham foi o responsável pela lesão de Cristiano Ronaldo antes do cronómetro cantarolar o minuto 10.

“Ei, imprensa francesa! Esqueçam…”, pode ler-se esta mensagem colada à cara de Renato Sanches, a sorrir. A ideia é lembrar a polémica promovida por Guy Roux, um treinador francês, que afirmou que o novo médio do Bayern Munique não tinha 18 anos, mas sim “23 ou 24”. Depois ainda há o “Liberté, Egalité, Edérité” para gritar o momento heroico de Éderzito.

Veja a fotogaleria no topo do artigo.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR