Uma mota da organização causou esta quinta-feira a queda do camisola amarela Chris Froome (Sky) no final da 12.ª etapa da Volta a França, ganha pelo ciclista belga Thomas de Gendt (Lotto-Soudal).

Quando o britânico seguia na frente na companhia do australiano Richie Porte (BMC) e do holandês Bauke Mollema (Trek-Segafredo), uma mota da organização, que parou abruptamente por não conseguir passar entre o público, provocou a queda do trio, com Froome a perder, na classificação geral provisória, a camisola amarela para o compatriota Adam Yates (Orica-Bike-Exchange).

A seguir, Chris Froome decidiu começar a correr e deixar a bicicleta para trás, que estaria danificada, até que a organização lhe disponibilizou uma em condições. O ciclista terminaria a etapa com uma bicicleta da sua equipa, mas perderia mais de um minuto para os rivais.

12º

Apesar deste episódio e do atraso, a organização eliminou os últimos seis quilómetros da 12.ª etapa, para que ninguém fosse prejudicado, conta o El País. Froome vai manter, por isso, a camisola amarela.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Antes deste incidente, já o belga Thomas de Gendt (Lotto-Soudal) tinha vencido a 12.ª etapa, uma ligação de 178 quilómetros entre Montpellier e Chalet-Reynard (Mont Ventoux), com o tempo de 04:31.51 horas, dois segundos à frente do compatriota Serge Pauwels (Dimension Data).