O indicador coincidente da atividade económica estabilizou em junho, interrompendo a trajetória de redução dos últimos sete meses, enquanto o indicador para o consumo privado manteve a tendência de diminuição iniciada em fevereiro, anunciou o BdP.

Segundo os dados divulgados esta sexta-feira pelo Banco de Portugal, o indicador coincidente para a atividade económica fixou-se em 0,1 em junho (o mesmo que em maio).

O indicador para o consumo privado passou de 1,9 em maio para 1,7 em junho, mantendo a redução iniciada em fevereiro após a estabilização observada desde meados de 2015.

Os indicadores compósitos procuram captar a evolução da variação homóloga do respetivo agregado macroeconómico.

No caso do consumo privado, avalia-se a evolução dos gastos das famílias em bens de consumo como alimentos, vestuário, lazer, educação, saúde, excluindo as despesas em bens duradouros como habitação, que são consideradas investimento.

Já o indicador coincidente da atividade económica reflete a tendência geral acerca dos desenvolvimentos económicos.