Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Um homem armado disparou sobre agentes da polícia num tiroteio em Baton Rouge, a capital do estado norte-americano de Luisiana, por volta das 09h00 (hora local), neste domingo. Três polícias foram atingidos mortalmente no decorrer do tiroteio, que aconteceu a pouco mais de um quilómetro de distância da sede do departamento policial de Baton Rouge. Outros três agentes ficaram feridos e foram hospitalizados em estado crítico.

As autoridades chegaram a acreditar que os disparos teriam sido protagonizados por mais do que um atirador, mas entretanto foi identificado o suspeito dos disparos que mataram os polícias: Gavin Long, um ex-Marine de 29 anos. Fontes citadas pela CNN avançaram que este domingo, 17 de julho, era o dia de aniversário de Long. O chefe da polícia do Louisiana já veio afirmar que o atirador agiu sozinho.

Long teria uma intervenção pública — através de vídeos partilhados no youtube — crítica e incitando a que se fizesse “justiça” contra os polícias e à forma como estes têm tratado os cidadãos afro-americanos.

Como começou

A CNN avançou, com base numa fonte não identificada, que a polícia foi alertada através de uma chamada sobre uma “pessoa suspeita a caminhar na autoestrada Airline com uma espingarda”. Assim que os agentes chegaram ao local o homem começou a disparar. Uma testemunha disse à WBRZ-TV que um homem vestido de preto e com a cara coberta começou a disparar indiscriminadamente enquanto se deslocava de uma loja de conveniência para um posto de lavagem de carros. Já Mark Clements, que vive perto do local do tiroteio, disse ao The New York Times ter ouvido mais de 10 tiros. “Ouvimos muitas sirenes e helicópteros”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Durante a operação policial para deter o autor dos disparos, a polícia chegou a pedir para ser contactada pelos civis caso estes avistassem homens com a seguinte descrição: “se estiverem a usar uniformes militares; se tiverem vestidos de negro; se estiverem a usar uma máscara (…), por favor liguem-nos”.

https://twitter.com/MVinsanau/status/754690737262829568

O Presidente americano, Barack Obama, condenou, “no sentido mais forte da palavra”, o ataque aos agentes da polícia de Baton Rouge. De acordo com a Associated Press, Obama afirmou que este ataque, o segundo do género em duas semanas, são “ataques a funcionários público, às leis e à sociedade civilizada, têm de parar”. E fez questão de apresentar ao estado do Louisiana todo os seu apoio. O Presidente dos EUA disse ainda que os motivos do ataque são desconhecidos mas que não existe justificação para a violência contra agentes da lei. São “obra de cobardes que não representam ninguém”.

https://twitter.com/MVinsanau/status/754693506334011393

De referir que no início deste mês um antigo soldado afro-americano matou cinco polícias em Dallas, tendo ferido outros sete no decorrer de uma manifestação contra a violência policial sobre negros. A polícia de Baton Rouge tem estado sob escrutínio depois das mortes de dois homens afro-americanos, registadas em vídeo, às mãos da polícia.

Os dois homens morreram na mesma semana. O caso de Alton Sterling reporta a Louisiana — depois de ter sido morto pela polícia à porta de uma loja de conveniência — e o de Philando Castile ao estado do Minnesota, baleado dentro do seu carro. O funeral de Sterling aconteceu esta sexta-feira.

A agência de notícias Lusa recorda que, contando com as mortes de este domingo, este ano já morreram 31 polícias em tiroteios nos EUA.

Artigo atualizado às 8h41 do dia 18 de julho