Denominado Salute, este exemplar único de aniversário do Willys MB tem por base o conhecido Wrangler, na versão de entrada e com carroçaria de duas portas. Contudo, e ao contrário do que acontece com o Wrangler, este protótipo dispensa, a exemplo do MB original, portas, vidros laterais ou traseiro, pilares B e até tejadilho. Exibe, isso sim, a tradicional roda no portão traseiro e pára-choques em ferro, com ganchos integrados.

Também com o objectivo de dar ao Jeep Wrangler Salute um ar militar, o protótipo surge na mesma tonalidade verde oliva do original, com letras e as mesmas insígnias que as forças armadas norte-americanas utilizaram durante a II Guerra Mundial, não dispensando sequer as jantes em ferro de 16″, o piso despido, sem qualquer tapete ou revestimento, além dos bancos básicos sem encosto de cabeça.

jeep-wrangler-salute-concept

O concept tem por base o conhecido Wrangler

Por baixo do capot, o Jeep Wrangler Salute possui, no entanto, um bem mais moderno V6 3,6 litros Pentastar com 289 cv de potência, conjugado com caixa manual de seis velocidades. Ou seja, incomparavelmente mais que o quatro cilindros 2,2 litros com 61 cv e 142 Nm de binário que o Willys MB original envergava.

willys-mb-1944-front

Recorde-se que o Willys MB começou a ser produzido em 1941, depois da empresa Willys-Overland ter ganho o concurso aberto pela administração dos Estados Unidos da América para produzir um veículo básico, estandardizado, que o país pudesse utilizar no teatro de operações da II Grande Guerra.

willys-mb-1944-rear

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Face às enormes necessidades dos militares norte-americanos, a Willys acabou por ser obrigada a entregar parte da produção à também norte-americana Ford, que passou a fabricar o Willys sob a designação GPW.

Com o fim da guerra, a Willys ainda produziu uma versão civil do MB, conhecida como Jeep CJ, que só deixaria de sair da linha de montagem em 1986, cedendo o seu lugar ao Wrangler.