290kWh poupados com o Logótipo da MEO Energia Logótipo da MEO Energia
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica. Saiba mais

Logótipo da MEO Energia

Poupe na sua eletricidade com o MEO Energia. Simule aqui.

A morte de Marco salvou cinco vidas

Este artigo tem mais de 5 anos

O italiano Marco Scaravelli, de apenas seis anos, era um promissor piloto de motos. Um acidente fora de pista tirou-lhe a vida este mês. Mas a morte do "generoso" Marco salvou várias crianças.

i

Cristian Scaravelli/D.R.

Cristian Scaravelli/D.R.

Marco Scaravelli queria ser piloto profissional de motos como o ídolo, Valentino Rossi. E começou cedo a correr — literalmente “correr”, nas pistas de motociclismo — atrás do sonho, disputando, em 2015 e com somente cinco anos, provas de mini-motociclismo (as motos são à escala dos pequenos pilotos e não ultrapassam os 60 km/h de velocidade máxima) em Itália, o país natal.

No final de junho Marcou celebrou seis anos, mas acabaria por sofrer um grave acidente pouco depois, a 10 de julho, que lhe roubaria a vida. Foi no Racing Park de Viadana, em Mantova. O acidente ocorreu já depois dos treinos livres. Pouco antes da prova se iniciar, Marco e o pai, Cristian, empurravam a mota até ao local da partida, mas esta acabaria por acelerar descontroladamente ainda nas boxes contra uma parede, com Marco montado nela.

O acidente não foi imediatamente fatal. O pequeno Marco sofreu fraturas nas pernas e nos braços, mas também na cabeça, o que lhe causou lesões cerebrais greves. Sete dias depois, Marco faleceria no hospital.

Contudo, a sua morte salvou várias vidas, como testemunhou o pai no Facebook: “O Marco lutou com todas as suas forças. Os médicos fizeram tudo o que era possível para salvá-lo. Ele sempre foi uma criança feliz, alegre, generosa, mas hoje superou-se. O Marco doou os rins, o fígado, os pulmões e o coração. Graças a ele, cinco famílias ganharam nova esperança. Graças a ele, cinco crianças recomeçaram as suas vidas.”

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Recomendamos

A página está a demorar muito tempo.