Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O governo turco, liderado por Tayyip Erdogan, suspendeu 15.200 professores e funcionários da área da educação devido a alegadas ligações com Fethullah Gülen.

O anúncio foi feito pelo ministério da Educação turco. A agência estatal turca conta que 1.500 reitores de universidades foram obrigados a demitirem-se.

Bekir Bozdag, o ministro da Justiça, já ordenou a extradição de Gülen, o líder religioso exilado em Pensilvânia, nos Estados Unidos, que foi acusado de ser responsável pela tentativa de golpe de Estadoque vitimou 290 pessoas na noite de sexta-feira.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR